descolamento-da-placenta_24177_l
DeHumberto Mingoranze / Notícias / 0 comentários

O que é o descolamento da placenta?

O que é o descolamento da placenta?

Recentemente foi muito falado na mídia o termo descolamento da placenta, por conta do que aconteceu com a apresentadora de TV Eliana.

A gravidade do descolamento da placenta varia para cada paciente. Esse processo é caracterizado quando uma porção da placenta, se desprende da parte uterina endometrial. Há descolamento menores que geram dor e desconforto e os maiores, que podem resultar em sangramentos intensos, em ambos os casos o repouso é fundamental, para reduzir os riscos para a mãe e o bebe.

Pode ser indicado medicamentos visando reduzir o estado de contração do útero, com o objetivo de aumentar a permanência do bebe na barriga da mãe, até o período considerado “TERMO”, que corresponde a idade gestacional de 37 a 40 semanas.

O descolamento de placenta pode apresentar-se com maior gravidade, que pode evoluir para uma perda sanguínea importante com risco de choque hipovolêmico, essa é uma situação de emergência que pode representar risco de vida.

As causas do descolamento de placenta podem variar como:

  • Quedas
  • Acidentes de carro
  • Excesso de exercícios físico ou esforço
  • Estresse elevado
  • Obesidade
  • Infecções
  • Má cicatrização de cesáreas anteriores
  • Hipertensão

 

Por isso o acompanhamento durante a gestação é importante, para avaliar como está sendo o processo gestacional, minimizando os riscos tanto para o bebe quando para a mãe.

Dra. Amanda Volpato CRM 122.447 – Medicina Reprodutiva – IPGO

Agende seu horário: (11) 3885-4333

 

#reproducaohumana #reproducaoassistida #infertilidade #infertilidadeconjugal #mioma #infertilidademasculina #infertilidadefeminina #casalinfertil #dnafertil #dnafértil #fertilizacaoinvitro #tentante #tentantes #tentantesunidas #tentantes2017 #tentantesdobrasil #tentantedobrasil #tentante2016 #tentantesnaluta #tentantenaluta #endometriose #testedegravidez #testedefarmacia #saúdedamulher #gineco #ginecologista

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *